#LoveWins

A poeira baixou e as fotos de perfil estão perdendo as cores.

E o que ficou como mensagem?

Muitos posts circularam reforçando que o Brasil já permite o casamento entre pessoas do mesmo gênero desde 2013 e que brasileiro não valoriza o que tem dentro de casa. Acho que parte da população já sabia disso e comemorou (ou repudiou) a decisão de forma mais discreta – sem gerar a repercussão que o assunto obviamente merece – e outra parte realmente não estava a par.

Quem falou que o Brasil tinha que seguir os passos dos Estados Unidos diante da decisão cometeu uma gafe (errou feio, errou feio, errou rude!), mas vale ressaltar dois pontos que influenciaram na expressividade do apoio à causa. O primeiro é que os EUA ainda são a maior potência mundial e por esse motivo a repercussão global é maior. O segundo é a ferramenta que o Facebook criou, o que facilitou e deu maior visibilidade às manifestações ocorridas no Brasil.

Era só clicar em um botão para que sua foto de perfil se transformasse num arco-íris e todos os seus amigos soubessem que você apoia o reconhecimento do casamento homoafetivo e, num nível mais profundo, que é contra a homofobia. Fácil, instantâneo, coletivo e lindo de se ver!

Fiquei feliz em ver tantas pessoas hasteando orgulhosas essa bandeira contra o preconceito na minha timeline. Não importa que tenha sido por causa da decisão dos EUA, importa apenas a mensagem: sair do armário para dizer que acredita no amor em todas as suas formas.

Infelizmente, saíram do armário também os homofóbicos, para dizer que gays são uma aberração ou até coisas piores. Ou aqueles que não têm nada contra, desde que não troquem afeto em público (amigo, sinto te informar que isso também é homofobia).

E teve uma terceira onda, a dos indignados com a repercussão. Esses compartilharam uma foto de uma criança em um estado extremo de desnutrição com os dizeres: “Tem coisa mais importante que casamento gay. Ninguém liga para as crianças com fome? Quando for para apoiar essa causa me chama.”

É verdade que existem comunidades sem água, sem comida, pessoas vivendo em pobreza extrema. E também é verdade que essas causas merecem mais atenção, discussões e propostas de planos de ação. Deveríamos nos sentir envergonhados por permitir que situações como essa ainda existam no nosso planeta. Mas o que não é verdade é que lutar por uma causa desmerece a outra.

E espere aí: Quando for para apoiar essa causa me chama?!

Se você é um dos que compartilhou esse banner ou concorda com ele, fica aqui um conselho: Não espere ninguém te chamar, esperar não muda nada. Levante suas próprias bandeiras, lute pelas causas nas quais acredita. Desmerecer a luta alheia não te ajudará a vencer batalha alguma.

E que lutemos sempre a favor do amor. #LoveWins

2 comentários COMENTE TAMBÉM

Lindo seu texto! Parabéns! Tenho orgulho em saber que você que faz parte de um time de blogueiras que influenciam muita gente tenham opiniões do tipo <3 só queria ressaltar algo, desde 2013 a UNIÃO ESTÁVEL é concedida no Brasil, ou seja, é diferente do casamento para casais heterossexuais ): muitas pessoas mudaram a foto de seus perfis em manifesto a isso! Não existe lei que para divorcio no caso de quem fica com com os filhos, o casal não pode partilhar o plano de saúde como um casal hetero, tem até uns bang sobre herança! A união estável pode ser transformada em casamento, porém só depois de processos! Beijos
http://www.ambito-juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=14104 (um artigo sobre isso)

Comentários fechados.

quem faz os achados
Colaboradores

Clique para fechar