10 alimentos para mudar a sua vida

Alimentação saudável, para muitos, ainda é sinônimo de restrição e sofrimento. Mesmo quem está disposto a repensar sua relação com a alimentação acaba tendo dificuldade em saber qual é o caminho. Afinal, somos constantemente bombardeados por informações conflituosas — de fontes nem sempre confiáveis. A revista X publica um artigo dizendo que o alimento milagroso da vez é Y, e condena o alimento Z, que antes era a estrela do momento. Já o artigo na internet diz o oposto, o que causa mais confusão.

Então é natural que a gente se sinta um pouco perdido. Às vezes, parece melhor ficar onde se está e manter velhos hábitos, já que a ciência dificilmente chega a um consenso e queremos todas as informações mastigadas.

O que faz de um alimento saudável ou não inclui uma série de variáveis que devem ser consideradas individualmente. Dificilmente existem respostas absolutas. Por isso, não existe atalho. É preciso consultar um profissional especialista, capaz de identificar que alimentos são os ideais para você, e quais devem ser evitados ou consumidos com moderação. 

Mas, se não existe resposta única, certamente existe um caminho que pode ser proveitoso para quem está disposto a se implicar nessa busca por mais qualidade de vida. Há algum tempo, a medicina e a nutrição deixaram de pensar apenas em doenças e passaram a se ocupar da saúde. E, neste cenário, a alimentação ocupa o papel principal. Não apenas porque é democrática e infinitamente mais acessível do que a indústria farmacêutica, mas porque uma alimentação desequilibrada pode ser a origem de um quadro de saúde delicado, assim como uma alimentação inteligente pode ser a origem de uma vida com muita disposição e saúde. 

As pesquisas de nutrologia têm avançado no sentido não apenas de determinar que alimentos podem fazer mal — como a Organização Mundial de Saúde se pronunciou recentemente sobre carnes defumadas e processadas (e sobre carne de modo geral) em relação ao aumento do risco de diferentes tipos de câncer. Mas também de pesquisar quais alimentos podemos incorporar ao nosso dia a dia para ganhar mais saúde. Estes pequenos aliados existem. E são muito mais acessíveis do que dietas mirabolantes, suplementos ou tratamentos caros. Estão nas feiras, nos mercados, nos empórios a granel, ao alcance de todos nós, e podem ser incorporados à nossa rotina alimentar. Somados a uma alimentação diversificada e equilibrada e à prática de atividade física, a ingestão frequente destes alimentos pode garantir mudanças expressivas em qualidade de vida.

Para nos contar um pouco mais sobre estes benefícios, convidei a minha irmã, Dra. Camila Secches, médica endocrinologista com especialização em nutrologia — e minha companheira na busca de uma autonomia que só um estilo de vida saudável pode nos oferecer. Camila também é pós-graduanda em Medicina do Esporte e ressalta que ninguém precisa perseguir o corpo da capa de uma revista como ideal, mas podemos perseguir o nosso corpo “ideal”. Ou seja, aquele que nos permite viver e usufruir a vida. Não estamos falando aqui de boa forma, menos ainda de busca pela perfeição. A palavra é autonomia e a meta é o bem estar e a qualidade de vida. Menos dependência de medicamentos, tratamentos, exames e hospitais. Menos dores, inchaços, desconfortos, cansaço, limitações… coisas que nos fazem passar pela vida com mais dificuldade, e das quais podemos abrir mão com alegria.

Pedi à Camila que escolhesse 10 alimentos que podemos incorporar em nossa rotina — a assiduidade aqui, mais do que a quantidade, faz a diferença nestes casos. Pequenas adições e trocas inteligentes.

Aqui estão eles:


01. Sal Rosa do Himalaia

O Sal Rosa do Himalaia é naturalmente rico em Iodo e tem menos do que ¼ da sua composição em sódio, além de conter mais de 80 tipos de minerais e elementos que incluem magnésio, cálcio, potássio e bicarbonato. Por conter tantos minerais, pode contribuir para manter o equilíbrio  hidroeletrolítico do nosso corpo, restaurar o pH do estômago, diminuir o risco de doença do refluxo gastroesofágico, reduzir a incidência de bócio (aumento da tireoide), prevenir câimbras, manter a boa saúde dos ossos e dentes, além de ajudar o intestino a absorver nutrientes. É naturalmente isento de microrganismos e por ter menos sódio do que o sal comum, tem menor impacto nos valores de Pressão Arterial.

– Como incluir na sua rotina alimentar: substitua o sal refinado geralmente utilizado na cozinha pelo Sal Rosa do Himalaia em suas refeições diárias. É uma substituição simples que pode gerar inúmeros benefícios. Vale o investimento!
 

02. Orégano

O orégano tem um potente efeito antioxidante que protege as células contra os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento precoce e pela diminuição da imunidade. O óleo feito com as folhas de orégano foi usado em estudos científicos e mostrou ter efeito importante contra bactérias capazes de causar doenças respiratórias. É rico em vitamina K e E, cálcio, magnésio, ferro e triptofano, um precursor da serotonina, hormônio que auxilia na sensação de bem estar e felicidade.

– Como incluir na sua rotina alimentar: use como tempero para lanches e refeições, de preferência sem levar ao fogo (as propriedades do orégano se enfraquecem se submetido ao calor). Ou seja: no caso da pizza, por exemplo, para mencionar um em que todo mundo está habituado a usar orégano, o correto seria colocar o tempero depois de tirá-la do forno, e não antes. Combina com massas, sanduíches, sopas, saladas etc. Comece a testar em combinações improváveis e vai se surpreender: o orégano é mais versátil do que você imagina.


03. Cúrcuma (Açafrão-da-Terra)

Suas propriedades medicinais remetem à Antiguidade, quando era chamada de Ouro em Pó. Um composto bioativo da cúrcuma tem sido apontado como promotor da proliferação e diferenciação dos neurônios, podendo ser um aliado na melhora neurológica de pacientes que sofrem de Alzheimer ou sequelas de infartos cerebrais. Também mostrou ser efetivo na prevenção de várias outras doenças por ter um poderoso efeito antiinflamatório e antioxidante. Estudos também mostraram que poderia inibir o crescimento de células cancerígenas.

– Como incluir na sua rotina alimentar: a cúrcuma é uma raiz que se parece com o gengibre. Você pode também comprar a cúrcuma em pó. É um tempero amarelado, que colore receitas, e que, em pequenas quantidades, não altera o sabor. Use em tudo! Combina com sucos e vitaminas assim como com pratos salgados. Dá para usar de tempero para feijão, risotos, massas, em molhos para salada (como mostarda, cúrcuma e melado batidos) e onde mais sua criatividade permitir. Use em pequenas quantidades, mas use sem medo. tente incorporar a cúrcuma aos seus itens essenciais na cozinha. Ela é uma aliada poderosa!


04. Gengibre

O composto fenólico do gengibre confere a ele propriedades digestivas: estimula a produção de saliva e da bile e diminui os movimentos intestinais, melhorando as irritações, cólicas e diarréia. Há estudos mostrando que o gengibre ameniza náuseas e vômitos em pacientes recebendo quimioterapia e em mulheres grávidas. É também considerado um alimento diaforético, ou seja, que facilita a sudorese e portanto, ajuda a regular a temperatura corporal durante resfriados e estados febris. Alguns outros estudos mostram que o gengibre contribui para reduzir as dores musculares induzidas por exercício e as cólicas menstruais. O gengibre contém vários outros potentes agentes antiinflamatórios e antioxidantes com possíveis efeitos medicinais favoráveis.

– Como incluir na sua rotina alimentar: assim como a cúrcuma, o gengibre é uma raiz que pode ser encontrada sem dificuldade. Também está disponsível em pó. É um verdadeiro curinga na cozinha! Use em vitaminas e doces, mas também como tempero de pratos e molhos. Ele dá refrescância e sabor, sem se sobrepor ao sabor natural dos alimentos. Além de ser saudável, deixa as receitas mais gostosas! Basta uma pitada (no caso de pó) e pronto. Atente apenas para a quantidade, já que tem característica picante. Também é usado em chás.

 

05. Pimenta do reino

Um composto da pimenta do reino tem sido apontado por estudos como possível bloqueador da formação de novas células de gordura. Um dos seus compostos ativos também é considerado um facilitador da absorção de outros nutrientes como selênio, vitaminas do complexo B, betacaroteno e a curcumina (presente na cúrcuma e responsável pelos seus benefícios). A pimenta do reino também possui propriedades antiinflamatórias e antioxidantes.

– Como incluir na sua rotina alimentar: acrescente uma pitada de pimenta do reino moída em todos os pratos salgados. Algumas receitas de pratos doces também se harmonizam bem com pimenta. Seu nível de picância é leve, de forma que mais confere sabor do que ardência às receitas. A pimenta do reino também ajuda a abrir as notas de sabor de outros alimentos, potencializando o paladar e deixando as refeições mais saborosas. Fique atento apenas para a quantidade. Quem tem gastrite e outras doenças do trato digestivo devem consultar seu médico antes de incorporar à dieta.


06. Vinagre de maçã

O vinagre de maçã é rico em ácido acético que inibe a ação de enzimas que digerem os carboidratos e portanto, bloqueia naturalmente a absorção de amidos e outros tipos de açúcar. Estudos mostraram que a sua ingestão auxilia na perda de peso, possivelmente devido a este mecanismo. É também rico em quercetina e catequinas, substâncias com propriedades antioxidantes e facilitadoras do sistema imunológico.

– Como incluir na sua rotina alimentar: além de ser um ótimo tempero para saladas, a dica de ouro é: usar algumas gotas de vinagre no preparo de cremes, vitaminas e molhos conferem cremosidade, deixando a textura aveludada, sem interferir no sabor. Em bolos e tortas vale o mesmo princípio — o vinagre pode substituir o ovo, por exemplo. Atenção: como todo ácido, deve ser usado com moderação. Em casos de gastrite e doenças do trato digestivo, consulte seu médico.


07. Chia

A semente de chia tem uma propriedade especial de ser mucilaginosa. Significa que tem capacidade de reter água e por isso ao ser ingerida auxilia na sensação de saciedade. É também um dos alimentos mais ricos em ômega 3, além de ser fonte de cálcio, fibras e proteínas.

– Como incluir na sua rotina alimentar: como não interfere no sabor dos alimentos, você pode acrescentar 1 colher de sopa (rasa) de chia sem maiores preocupações e testar qual é a sua maneira preferida de ingeri-la. Vale em temperos de salada, para acompanhar granolas, batida junto com molhos, cremes, sopas, vitaminas, sucos etc. Existe a farinha de chia, preatica para acrescentar em receitas. Também fica muito bem como “pudim”: basta misturar 1 colher de sopa (rasa) com 200 ml de leite de coco e deixar hidratar por algumas horas. O gel da semente de chia se mistura ao leite de coco, formando uma textura de pudim. Acrescente frutas vermelhas, castanhas e uma folha de hortelã ou frutas secas e granola e pronto, você tem uma sobremesa bonita e saudável! Tem uma variação deliciosa desta receita aqui.

 

08. Linhaça

As sementes de linhaça são ricas em antioxidantes, ômega 3, minerais e vitaminas essenciais, especialmente a vitamina E. Seu consumo regular está associado a melhora dos valores de colesterol e redução do risco de doenças do coração.

– Como incluir na sua rotina alimentar: acompanhando granolas doces e salgadas, batida com sopas, cremes, vitaminas e sucos ou ainda em formato farinha de linhaça, que substitui bem a farinha de trigo em receitas. É possível encontrar as farinhas de chia e de linhaça misturadas (algumas vezes chamada de farinha de “chiaça”), uma ótima opção para ingerir as duas sementes juntas. Substitui bem o ovo em algumas receitas, fazendo a função de dar liga aos ingredientes.
 

09. Canela

Estudos demonstram que a canela ajuda a reduzir os níveis sanguíneos de açúcar, colesterol LDL e triglicerídeos e por isso pode ser um coadjuvante no tratamento do diabetes. Há também relatos de efeito positivo no tratamento da esclerose múltipla e doença de Alzheimer, assim como pode contribuir com melhora das dores musculares e câimbras, diarreia, vômitos e infecções respiratórias.

– Como incluir na sua rotina alimentar: sucos, vitaminas, salada de frutas, chás e sobremesas. Uma sobremesa simples e rápida: bananas assadas com canela, gengibre, cacau e um fio de melado. Em algumas receitas salgadas, a canela também harmoniza muito bem. Pesquise, teste, use sua criatividade. Uma pitada de canela por dia deixa a vida mais saudável — e mais gostosa também! Atente para a quantidade para não amargar as receitas.


10. Cacau

Por ser rico em flavonoides,  foi demonstrado em vários estudos que o cacau reduz a pressão arterial e é por isso, um coadjuvante no tratamento e prevenção da aterosclerose, doença causada pelo envelhecimento das artérias e que atualmente é uma das principais causas de morte no mundo. Os flavonoides do cacau também estão implicados na melhora da memória e possivelmente na prevenção do Alzheimer. É também rico em antioxidantes que previnem o ganho de peso e aumento da concentração de açúcar no sangue, responsável pelo diabetes. 

– Como incluir na sua rotina alimentar: o cacau é muito versátil e dá origem ao cacau em pó, nibs de cacau, mel de cacau (também chamado de uruçuca) etc. Portanto, são infinitas as possibilidades de uso, todas deliciosas. Como mencionamos no início deste texto, existem casos que pedem atenção: quem tem predisposição a cáculo renal, por exemplo. Por isso, consulte sempre seu médico/nutricionista para assegurar que você está usando os benefícios dos alimentos a seu favor. Cada organismo tem necessidades e particularidades específicas que devem ser respeitadas!


* * *

Acompanhe mais dicas sobre alimentação e saúde no perfil da Dra. Camila no Instagram: @camilasecches

É importante ressaltar novamente que cada um deve consultar o seu médico/nutricionista para avaliar características e vulnerabilidades individuais.

1 comentário COMENTE TAMBÉM

Comentários fechados.

quem faz os achados
Colaboradores

Clique para fechar